“A cara da mulher é coragem”, diz Simone Tebet em evento virtual da OAB-MS

Por Redação FMTLnews 26/06/2020 - 08:21 hs

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ), senadora Simone Tebet (MDB-MS), admitiu que não é fácil (para a mulher) fazer política. “É um mundo difícil, mas é preciso ter coragem”, disse. Ela participou do “I Encontro virtual + Mulheres na Política”, organizado pela OAB de Mato Grosso do Sul. “A cara da mulher é coragem. Procuro honrar as mulheres de Mato Grosso do Sul e me inspiro nas guerreiras do Brasil”, disse em sua exposição. A senadora ressaltou que a presença nos espaços públicos de comando vai além dos cargos eletivos. Ela defende a ampliação das mulheres em postos-chave de grandes empresas, corporações, estatais, sindicados, associações e assim por diante. A senadora entende que a mulher busca a caneta (o poder) para lutar, especialmente, por direitos coletivos.

 

Ao longo de sua trajetória, Simone Tebet tem sido a primeira mulher a galgar diversos cargos de destaque: foi a primeira prefeita de Três Lagoas, primeira vice-governadora, primeira líder do MDB no Senado e, agora, é primeira presidente da comissão mais importante da Casa (CCJ). Para ela, isso não é motivo de orgulho, ao contrário, lamenta as barreiras ainda existentes para ampliar o empoderamento feminino.

 

A senadora fez uma retrospectiva histórica das lutas das mulheres brasileiras desde a chegada ao ambiente público - por necessidade econômica ou por desejo de emancipação e independência. Para ela, a mulher, ao entrar no espaço público, percebeu que não tinha as mesmas condições dos homens e que precisava ir além da luta pelo direito de votar, mas também de ser votada para ter voz e reivindicar direitos.

 

Simone lembrou da luta das (apenas) 26 deputadas da Assembleia Nacional Constituinte, chamadas pejorativamente de Bancada do Batom. Também fez uma retrospectiva da Lei da Cota de 30% das candidaturas e, mais recentemente, da garantia de recursos do Fundo Eleitoral e do tempo de rádio e TV para mulheres na mesma proporção de 30%. A senadora está otimista.

 

Acredita que no pleito municipal mais mulheres serão eleitas vereadoras e prefeitas, assim como bem mais mulheres foram eleitas para a Câmara dos Deputados nas últimas eleições.

Ela finalizou a palestra revelando preocupação com o cenário social e econômico atual. “Lutamos muito para construir um país melhor. Saber que, neste momento, as estimativas indicam 20 milhões de desempregados e o aumento do número de miseráveis é muito triste”. Ela disse que o Senado tem contribuído aprovando medidas para reduzir os impactos da pandemia do coronavírus e deixou uma mensagem de esperança: “Com esforço e perseverança, teremos capacidade de superar as dificuldades”.